Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Folha em Branco

Folha em Branco

Qui | 18.10.12

Nanozine: Nova Cultura - Dia da Literatura

Pantapuff
Antes de mais tenho de agradecer o convite que me foi feito para integrar a organização e um dos painéis deste evento e foi com prazer que, ontem, vi concretizar-se a ideia da Ana Raquel Margato na FCSH-UNL. Cultura Nova propõe-se a mostrar aos estudantes várias vertentes da cultura através de conferências e actividades. Ontem realizou-se o Dia da Literatura. Foi um dia que começou bem cedo e de forma atribulada. Sem saber que havia previsão de chuva acordei para o pânico. Tinha (...)
Dom | 30.09.12

E depois do Verão... os regressos

Pantapuff
Pois é meninos e meninas... voltei e cheia de energia (ou não) para me atirar de cabeça às mil e uma coisas em que ando de nariz enfiado. A Nanozine anda a marcar presença em vários eventos e agora tem um novo layout no blog. Aproveito para relembrar que no próximo mês de Outubro estaremos presentes na FCSH-UNL para o Dia da Literatura. O novo número também já está a ser organizado. Não (...)
Qua | 01.02.12

Passatempo 200 likes

Pantapuff
Olá as meninas da Nanozine estão a organizar um passatempo no blog. O prémio é o livro "Passagens", o livro "Quimera" e dois exemplares da zine. Para se abilitarem a ganhar basta responder a umas perguntinhas e voilá! Basta clicarem aqui para aceder ao post (...)
Sex | 21.05.10

Contra-Corrente #2

Pantapuff
E já saiu o segundo número da revista literária online Contra-Corrente, onde mais uma vez tive o privilégio de ver um dos meus textos publicados. Este número tem o tema de O Sagrado e o Profano. Podem fazer o download gratuito aqui e o meu poema está na página 39.
Dom | 07.03.10

Contra-Corrente #1

Pantapuff
Já saiu o primeiro número da revista Contra-Corrente e podem fazer download do pdf aqui. Neste primeiro número podem encontrar um dos meus poemas, intitulado Vermelho de Sangue.     Um sofá solitário numa sala vazia, uma sala vazia numa casa abandonada, uma casa abandonada numa cidade fantasma. Entro e vejo um corpo inanimado no sofá (...)