Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Folha em Branco

Folha em Branco

Qui | 10.11.11

O Último Segredo

Título: O Último Segredo

Autor: José Rodrigues dos Santos

Editora Gradiva

ISBN: 978-989-616-446-1

563 páginas 

 

O Último Segredo é o mais recente romance de José Rodrigues dos Santos que desta vez nos leva pelos caminhos escondidos da Bíblia Cristã através do olhar do já bem conhecido historiador e criptanalista Tomás de Noronha.Tem sido grande o alarido com este livro principalmente quando a Igreja decidiu criticar este romance afirmando que o autor se tinha limitado a "escrever centenas de páginas sem saber do que fala".Como alguns decerto sabem, eu estive presente no lançamento do livro na Sociedade de Geografia de Lisboa. Já na altura as palavras de Anselmo Borges me alertaram para o facto deste livro vir a ser polémico, algo que se confirmou horas depois quando as notícias começaram a surgir nos media portugueses.A história começa quando uma paleógrafa de renome é assassinada e Tomás de Noronha é chamado para ser interrogado já que ele era conhecido da falecida e tinha sido a última pessoa com quem ela tinha falado. Junto ao corpo é encontrado um pequeno papel com uma cifra e ele sendo um dos melhores criptanalistas do mundo consegue decifrá-la.A partir daqui temos uma viagem pelos caminhos da Bíblia que são fascinantes para quem quer que não conheça a fundo a temática.Quando comecei a ler o livro apercebi-me imediatamente de que nada que o autor coloca no discurso da sua personagem principal é inovador ou chocante já que são temas debatidos à muito tempo por teólogos e historiadores de religião.Vamos ver por linhas gerais os pontos com que a Igreja se pode sentir “a ser atacada”.Jesus Cristo não era cristão?É a mais pura das verdades, Jesus era apenas um judeu, criado no contexto e numa família desta religião. Cristo não fazia sequer parte do seu nome, foi uma adição tardia pelos seus seguidores pois Cristo significa “messias” (Mashíach em hebraico ou Christós em grego).Maria não era virgem?Vamos usar o senso comum, à dois mil anos não existia inseminação artificial. Se uma virgem chegasse à vossa beira, hoje, e dissesse que estava grávida iam acreditar?Existem textos fraudulentos na Bíblia?Claro que sim, grande parte do Novo Testamento não foi redigido pelas pessoas a quem lhes foi dado o nome. Isso aconteceu pois era necessário dar alguma credibilidade aos textos que estavam a usar para espalhar a “Boa-Nova”.Existem erros na Bíblia?Sim, milhares deles e isso acontece devido às sucessivas más traduções feitas ao longo dos tempos. Neste momento a melhor tradução portuguesa existente é a da Bíblia dos Capuchinhos pois foi traduzida a partir das línguas originais em que cada texto foi redigido ou na língua em que existiam as cópias mais antigas já que muitos dos originais se perderam (hebraico, grego, aramaico e algum latim). Esta tradução foi dirigida pelo professor Dr. José Ramos, da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.Que novidade nos trás o autor?Absolutamente nenhuma pois todos estes temas, como já referi acima, são do conhecimento dos estudiosos da área religiosa e o autor não fez mais que explicar estes debates “como se fôssemos muito burros”.Tenta derrubar a fé dos crentes?Isso é com cada um, mas fé e verdade são coisas diferentes. E a verdade é que a maioria dos crentes não sabe a história da sua religião desconhecendo até o facto de que o Antigo Testamento é todo ele em hebraico, ou seja, vem do judaísmo. Isso aconteceu pois na época em que o Cristianismo se começa a consolidar (sécs II, III) era necessário mostrar que não eram uma religião nova, mas sim uma que tinha o seu berço em crenças antigas.Agora focando-nos apenas no livro em si e deixando um pouco de fora todos estes debates histórico-teológicos… É um bom livro?Sim, é um bom livro, repleto de mistério e aventura. E ninguém terá dificuldade a acompanhar a história pois está escrito numa linguagem acessível para o grande público e não para uma pequena elite.Tomás de Noronha, uma personagem já muito querida do público português tem mais umas quantas aventuras e o autor troca-nos as voltas para um final surpreendente.O maior defeito que o livro tem é o facto do Tomás falar pelos cotovelos, que por um lado compreendo qual é a razão de ser assim, mas por outro torna-se um pouco chato.Se aconselho a ler? Aconselho mas apenas a pessoas que gostem desta temática e que não tenham conhecimentos aprofundados, caso contrário podem dar por si a cruzar as informações com artigos científicos, dicionários e livros. Pois afirmo aqui uma vez mais, o autor não diz nada de novo. Agora porque é que a Igreja se sente tão chateada com isto? Simples, José Rodrigues dos Santos trouxe ao público geral factos que normalmente não andam por aí livremente e acessíveis a qualquer pessoa. 

Goodreads, Público

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.