Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O público e o privado

por Pantapuff, em 27.11.14

«Social media skeptics often look at the output of those who are engaging with the newfangled services and shake their heads. “How can they be so public?” some ask. Others reject digital performances by asking, “Who wants to read what they want anyhow?” Publicness is one of the strange and yet powerful aspects of this new world.»

in: The Social Media Reader

 

Quem se movimenta nestas coisas do online, blogs e afins, dependendo da temática, tende a ter parte da sua vida exposta. Quando frequentamos esta parte da esfera pública, pelo menos a nossa cara pode ser reconhecida por um punhado de pessoas e lá se vai o anonimato. A única forma de ser 98% anónimo seria nunca dar o nome, nunca colocar uma foto e nunca ir a eventos e mencionar o que se faz online.

No entanto uma coisa interessante em que tenho vindo a notar nos últimos dois anos é que as pessoas deixam, aos poucos, de perguntar coisas sobre a nossa vida ao pensar que tudo está online.

O truque é saber o que colocar, ou não, na internet. É importante separar a vida pública da privada e ter noção do que queremos ver exposto. Ter uma foto no cinema não é o mesmo que uma foto em roupa interior ou poses provocantes. O problema de muitas jovens é o tipo de fotos que colocam que acabam por gerar comentários menos simpáticos. Não estou a dizer que as pessoas têm o direito a ser mal educadas, no entanto, há que ter noção de que uma foto no facebook não é o mesmo que no nosso álbum de fotografias que está na prateleira da sala.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:30




Alexandra Rolo | Pantapuff

Capturar.PNG


Nascida em 1989, em Lisboa e com uma infância marcada por demasiados filmes de ficção científica é formada em História Moderna e Contemporânea (ISCTE-IUL), História Religiosa (FLUL) e Gestão Cultural (ISCTE-IUL). Conhecida online enquanto Pantapuff, é blogger desde 2005 e tem colaborado em diversos projectos online, normalmente ligados às áreas da literatura (fantástica e FC) e da internet. Hoje faz do online a sua vida, trabalhando como gestora de redes sociais. Youtuber, bookworm, cosplayer, nerd, Potterhead e Whovian assumida é normalmente vista de phones, telemóvel, iPad e Kindle. O seu maior medo é ficar sem bateria ou perder o acesso à internet.


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.