Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Folha em Branco

Folha em Branco

Sab | 16.06.12

Precipício

Perdida numa imensidão
de rostos conhecidos
que não sei de quem são
vagueio num mundo
de celebrações e festas
a que não quero ir
não quero celebrar
quero estar.

 

Gritos ininterruptos
entram me na cabeça
estridentes e sem amor
ando pelo meio deles
de mãos a abafar o som
e acelero o passo.

 

Corro e tropeço
em ervas daninhas
levanto-me e continuo
ando por caminhos
tortuosos e perigosos
a desafiar a gravidade.

 

Chego ao cume e paro
olho para a tentação
de acabar com a dor
e sentir-me cair
do precipício onde estou

 

É aqui que quero estar
sozinha sem som
com pouco ar nos pulmões
e sentir-me a adormecer
para acordar
ao sentir-me cair
para já não me levantar.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.