Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Folha em Branco

Folha em Branco

Seg | 30.07.12

Sofrer por amor

Como será...
Sentir uma dor no peito e perder a a respiração. Ensopar a almofada com lágrimas e perder o apetite.
Perder noites de sono a pensar em alguém a reviver memórias e inventar outras. Ver um futuro estilhaçado e uma vida perdida. Esquecer a vontade de viver e não sair do conforto proporcionado pelos cobertores que nada protegem a não ser do frio natural.
Contar o passar dos segundos, minutos, horas, dias... para o regresso que nunca chegará.
... ser capaz de sair e levantar a cabeça para um novo mundo...

Dom | 29.07.12

Kindle faz dieta forçada

Pela primeira vez apeteceu-me atirar o meu kindle à parede e o pobre nem tinha culpa. Subitamente a amazon achou que era giro não me deixar fazer download de um livro gratuíto sem ter um cartão válido. Ó minhas aventesmas! Se o livro é de borla para que porra é preciso a merda do cartão?? Ainda por cima eu que uso o mbnet para essas coisas de compras online.
Acabei por perder a paciência e apagar a minha conta do kindle e voltar a registar o aparelhito e qual não é a minha surpresa que o livro aparece logo lá? Problema? Sim um... tudo o que lá tinha poof desapareceu. Parte boa, a minha pessoa tem um backup de todos os livros numa dropbox (yay for backups, yay for dropbox).

Agora já posso ler o livro que me vai acompanhar nos próximos dias: o Through the Looking-glass de Lewis Carroll e que vão poder ver comentado em breve no local do costume.

Sab | 28.07.12

Household Stories by the Brothers Grimm

Finalmente consegui ler. Depois de estar meses para pegar no livro, em alguns dias arrumei com o assunto.
Um grande conjunto de contos já conhecido e que me deu grande prazer ler e ver quais as diferenças entre estes e as versões da Disney.
Um problema que tive foi em parar com as ideias da Nancy Madore, mas ainda assim foi engraçado.
Para quem está a fazer o curso do Coursera e está a ter aqui a sua introdução, esta é de facto uma boa forma de iniciar as leituras que os vão acompanhar durante as próximas semanas.
Acho interessante ver aquelas ideias da donzela bonita que é mal tratada pela madrasta e pela meia-irmã que têm inveja, mas no fim quem ganha são os bons da história.
Os símbolos são repetidos várias vezes e facilmente enquadrados na mitologia de vários povos, sendo um dos exemplos o corvo, que é um animal mensageiro dos deuses e hoje é conhecido como uma ave de má sorte.
Nestes contos podemos também ver formas de ensinar os mais jovens algumas coisas que de outra forma talvez fossem difíceis de explicar.
Pessoalmente prefiro as versões dos Grimm às da Disney. São mais dark e ao mesmo tempo entusiasmantes.
Se acham que precisam de mais um incentivo à leitura aqui fica: grátis na kindle store.

 

Goodreads, Amazon, Kindle, Wook, Bertrand

Sab | 28.07.12

Aventuras na cozinha

Hoje tive uma aventura na cozinha. Eu e o meu tio decidimos fazer uma panela de sopa de feijão verde. Agora foi uma aventura porquê? Simples, nunca nenhum de nós alguma vez fez tal coisa. Em casa quem faz a sopa é a minha mãe e eu só costumo vê-la a cozinhar.
Um par de horas depois a primeira tijela estava a ser servida e surpresa das surpresas, a sopa foi aprovada.
Vês mãe? Eu não gosto de cozinhar, mas não é por isso que não sei fazer as coisas. (hehe)

Sex | 27.07.12

A FLUL odeia-me

É oficial, a FLUL nunca me quis como aluna. Dois anos que já lá passei e nunca recebi o cartão da CGD com as informações em como era aluna de lá. As aulas no ISCTE-IUL ainda estão longe de começar e já recebi um cartão amarelinho em como sou aluna de mestrado lá.

Estão a ver? Eles não gostam de mim *dá abracinho ao iscas*

Qui | 26.07.12

Estilo Victoriano com maquilhagem a mais, não?

Ontem no Steampunk Tribune colocaram dois clips do youtube sendo que um era dedicado a maquilhagem e o outro a um penteado inspirados na nossa época favorita.
O resultado final estava giro mas o problema é que ela espetou na cara uma quantidade absurda de maquilhagem. Eu conseguia o mesmo efeito em metade do tempo e com menos de metade da maquilhagem que ela usa.

Gostava de a ver a tirar isto tudo da cara, deve ser lindo.
E vocês o que acham do tutorial?

Seg | 23.07.12

Antologia de Ficção Científica Fantasporto

Título: Antologia de Ficção Científica Fantasporto
Organização: Rogério Ribeiro

Goodreads, Wook, Bertrand, Fnac

Se este fosse o meu primeiro contacto com a FC acho que ficaria a detestar o género (ainda bem que não é assim).
O título tem lá escrito "Ficção Científica" mas o que eu encontrei na maioria dos contos foram autores a escrever dentro do género fantástico com uma alforreca de Natal ou um cyborg lá pelo meio para dizer que é FC (ou então nem isso).
Eu queria gostar deste livro, comprei-o na Feira do Livro feliz e contente (o Frazão é testemunha disso) e hoje digo apenas meia dúzia de palavras: quero o meu dinheiro de volta.
Os melhores foram o FOGO! de João Ventura e Acordar o Profeta de João Leal.
Entre os piores ficaram todos os outros? Não têm ponta por onde se lhes pegue e se estes são os melhores que conseguiram arranjar choro pela FC portuguesa.
Começando por uma espécie de Butterfly Effect e uma tentativa de A.I. passamos ainda por alforrecas que andam a cair em quintais e mudam de cor.
O conto da Madalena Santos é o que mais defeitos tem. Começando logo por uma forma fácil não ter de se lembrar de nomes para as colónias, que foi a de usar códigos com letras e números (ex. Colónia Z725). Depois usa cyborg em inglês (itálico para o plural e normal para o singular - why??) mas para robô já usa a tradução portuguesa.
Concluindo... e porque se vou a colocar aqui o que achei de cada conto o post torna-se muito repetitivo... usem os vossos 17€ (ou quase) em qualquer outro livro de FC que valha alguma coisa.
Moral da história... começar a dar atenção às inúmeras vozes que dizem que é mau e para não gastar o meu dinheiro (you can spank me now you soulless woman).

Dom | 22.07.12

Barcos e caracóis

Ontem fui ver os barquinhos a Santa Apolónia. Acho que nunca tinha visto tanto barco grande junto (e os marinheiros também não eram nada maus). Foi também uma grande desculpa para tirar o senhor Naia do buraco em que tem andado enfiado (eu não o via à semanas) e pronto, passou-se uma tarde muito agradável.
Infelizmente à hora a que pude ir já não foi possível entrar em nenhum barco pois os únicos três que tinham ainda entradas abertas tinham também uma fila descomunal. Se não puderam ir têm sempre algumas fotos no facebook do estaminé (aqui).

Como a fome já apertava e que tal caracóis? Lá arrastámos o açoreano para mais uma ida ao Festival do Caracol Saloio e provámos os belos caracóis à Bulhão Pato no Apolo (ai ca bom *-*). Se querem espreitar também podem sempre cuscar as fotos aqui.

Pág. 1/6

Error running style: Style code didn't finish running in a timely fashion. Possible causes: