Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Folha em Branco

Folha em Branco

Sab | 30.04.11

Fallen

Fallen de Lauren Kate é o primeiro de uma série sobre anjos caídos, o tema da moda na literatura fantástica.

 

Sinopse:Instant. Intense. Weirdly familiar...The instant Luce looks at Daniel she knoes she has never felt like this before. Except she can't shake the feeling that she has...and with him - a boy she doesn't remember ever setting eyes on.Will her attempt to find out why enlighten her - or destroy her?

 

Não comprei o livro pela sinopse até porque nem sequer a li (bom, li agora para a copiar para aqui e não, eu não estou a gozar), achei piada à capa.A história está desde logo coberta por mistério, não se percebe o que raio ali se passa durante grande parte do livro mas à medida que vamos avançando na leitura é quase impossível pôr de parte.Quero ler o próximo - Torment - porque quero saber mais, este soube-me a pouco e as personagens são apaixonantes.Lauren Kate escreve de uma forma simples e fluída e consegue entrar no ambiente que as personagens vivem.Suspense, morte, aventura, romance, são coisas que esta autora nos mostra nestas páginas.

Sex | 29.04.11

Avestruz

 

 Dizem que as avestruzes escondem a cabeça na areia, não sei se é verdade ou não, mas existem avestruzes por aí.

Eu cá acho que colocar a cabeça na areia não é bom... assim não se deve conseguir ouvir as críticas, as opiniões, aquilo que ajuda uma pessoa a melhorar e a crescer. Por outro lado, fazê-lo torna mais fácil viver no mundo de sonho e fantasia que se constrói para fugir à realidade.

Mas até que ponto é saudável viver num mundo que não é real? A vida nem sempre é um mar de rosas e não conseguimos controlar as pessoas à nossa volta mas temos de saber lidar com os pensamentos dos outros, mesmo que estes não concordem com os nossos.

É necessário crescer e aprender, tirar a cabeça da areia e ouvir, olhar e ver...

Qui | 28.04.11

Donzela Sagrada - O Segredo de Thunderland

Sou uma leitora compulsiva de livros, principalmente do género fantástico mas infelizmente são muitos os enganos que por aí andam, mas este é de facto aquilo a que podemos chamar um desperdício ao abate de árvores.Diana Tavares dá-nos a conhecer no seu primeiro livro, um novo mundo em muito baseado na mitologia grega das horae.Uma miúda de 14 anos chamada Hana, filha de uma senhora que se chama Dana, torna-se amiga de Prudence (Prue) que se apaixona por outro rapaz e fica corada cada vez que o vê. Tem monstros maus e feios que metem medo. Muita acção, mistério, aventura, amor, sensualidade. Ou pelo menos é isto que as páginas aparentam ter.O facto de numa página A5, Hana estar escrito 15 vezes (um total de 248 em 36 páginas) pode ser um bocado atrofiante. Isto juntamente com repetições exageradas, diálogos mal escritos, frases muito compridas ou muito curtas, uma má construção de frases e um português pior do que useria de esperar de uma aluna universitária, conseguem complicar a leitura de qualquer pessoa habituada a ler coisas bem construídas.Como já disse em várias ocasiões, a ideia está lá e até é boa, o problema é de facto a execução da coisa, juntamente com uma péssima edição, que pelos vistos não foi mais do que umas palminhas porque “ai que fofo escreveu um livro”.Além de tudo isto noto uma recusa em aceitar críticas e uma felicidade em ver apenas o trabalho mencionado em vários blogs que nada comentam ou criticam. Estas referências têm apenas informações genéricas que facilmente retiram do site da EuEdito sem ter de tocar ou ler o dito.Digo isto porque duas pessoas que lhe fizeram críticas foram, por pura coincidência, retiradas da lista de contactos do facebook e tive conhecimento de uma terceira que não viu o seu comentário publicado pela autora que continua a encher um blog de posts com links de blogs que falam do seu pequeno molho de papel.Uma pergunta que não me sai da cabeça é o “como?”. Como é que é possível que tal coisa esteja à venda numa fnac? Não existe ninguém que lê este tipo de textos antes de aceitar colocá-los à venda? Pensava que existia um controlo de qualidade, ou será um controlo especial? Talvez não vá saber a resposta a esta questão mas enfim…Concluindo… a leitura daquilo que poderia ser um bom livro, se estivesse bem escrito, é penosa e dolorosa porque não consigo abstrair-me dos constantes erros.Em relação à autora, Diana Tavares, devo dizer que é uma rapariga muito simpática e nas suas “intrevistas” promete trazer-nos mais trabalhos e um segundo volume da Donzela Sagrada este Inverno. Este é a continuação do primeiro e já está a ser revisto.Além da Donzela, Diana tem também um livro infantil à venda na EuEdito, intitulado "A Herdeira de Fat-Shan".Escusado será dizer que não aconselho a compra deste livro, o vosso dinheiro é muito melhor empregue em autores portugueses de qualidade muito superior.

Qua | 27.04.11

O Pesadelo da Donzela

 

Sou uma leitora compulsiva de livros, principalmente do género fantástico mas infelizmente são muitos os enganos que por aí andam, mas este é de facto aquilo a que podemos chamar um desperdício ao abate de árvores.

 

Diana Tavares dá-nos a conhecer no seu primeiro livro, um novo mundo em muito baseado na mitologia grega das horae.
Uma miúda de 14 anos chamada Hana, filha de uma senhora que se chama Dana, torna-se amiga de Prudence (Prue) que se apaixona por outro rapaz e fica corada cada vez que o vê. Tem monstros maus e feios que metem medo. Muita acção, mistério, aventura, amor, sensualidade. Ou pelo menos é isto que as páginas aparentam ter.
O facto de numa página A5, Hana estar escrito 15 vezes (um total de 248 em 36 páginas) pode ser um bocado atrofiante. Isto juntamente com repetições exageradas, diálogos mal escritos, frases muito compridas ou muito curtas, uma má construção de frases e um português pior do que useria de esperar de uma aluna universitária, conseguem complicar a leitura de qualquer pessoa habituada a ler coisas bem construídas.

 

Como já disse em várias ocasiões, a ideia está lá e até é boa, o problema é de facto a execução da coisa, juntamente com uma péssima edição, que pelos vistos não foi mais do que umas palminhas porque “ai que fofo escreveu um livro”.

Além de tudo isto noto uma recusa em aceitar críticas e uma felicidade em ver apenas o trabalho mencionado em vários blogs que nada comentam ou criticam. Estas referências têm apenas informações genéricas que facilmente retiram do site da EuEdito sem ter de tocar ou ler o dito.

Digo isto porque duas pessoas que lhe fizeram críticas foram, por pura coincidência, retiradas da lista de contactos do facebook e tive conhecimento de uma terceira que não viu o seu comentário publicado pela autora que continua a encher um blog de posts com links de blogs que falam do seu pequeno molho de papel.

 

Uma pergunta que não me sai da cabeça é o “como?”. Como é que é possível que tal coisa esteja à venda numa fnac? Não existe ninguém que lê este tipo de textos antes de aceitar colocá-los à venda? Pensava que existia um controlo de qualidade, ou será um controlo especial? Talvez não vá saber a resposta a esta questão mas enfim…

 

Concluindo… a leitura daquilo que poderia ser um bom livro, se estivesse bem escrito, é penosa e dolorosa porque não consigo abstrair-me dos constantes erros.

 

Em relação à autora, Diana Tavares, devo dizer que é uma rapariga muito simpática e nas suas “intrevistas” promete trazer-nos mais trabalhos e um segundo volume da Donzela Sagrada este Inverno. Este é a continuação do primeiro e já está a ser revisto.

Além da Donzela, Diana tem também um livro infantil à venda na EuEdito, intitulado "A Herdeira de Fat-Shan".

 

Entretanto, fico à espera de ler uma crítica positiva acerca da escrita desta jovem…

 

Qua | 27.04.11

Burned

O sétimo livro da série House of Night conta muitas histórias...Stevie Rae, Rephraim, Zoey, Stark, Kalona e Aphrodite são as que têm partes mais importantes tendo assim a "nerd herd" sido deixada de lado tal como o resto dos "red fleglings".Eu já só continuo a ler isto porque quero saber como acaba, mas imploro que o Awakened seja o último da série se não vou mandar um hate mail às senhoras que estão a escrever isto porque a personagem principal ainda nem o primeiro ano de escola acabou e já vai com oito livros. Bolas, até o Harry Potter foi mais curto.Ainda assim, fiquei surpreendida pela positiva pois não custou tanto a ler como o anterior que parecia uma tortura literária de tão chato que era. Este tem mais "acção".No geral o que aqui se passa neste "episódio" é o que os amigos da Zoey fazem para que ela volte a juntar o seu espírito que havia sido estilhaçado depois de atacar Kalona. Basicamente começa logo depois do livro anterior (morte de Heath).

Pág. 1/3

Error running style: Style code didn't finish running in a timely fashion. Possible causes: