Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



De onde nascem as ideias?

por Pantapuff, em 12.03.15

Screenshot_8.png

Há alturas em que as ideias são escassas e a parte criativa do cérebroo diz fuck you I'm going on vacation ou então simplesmente hiberna ao fim de três dias de escrita intensiva sobre 10 coisas completamente diferentes.

A parte boa do meu dia a dia é que os temas são tão diferentes que não dá para me fartar, por outro lado a constante mudança de registo leva-me a pensar que estou prestes a desenvolver um distúrbio de múltipla personalidade.

Mas afinal de onde nascem as ideias? Ler é sempre uma boa opção. Ler artigos ou ver vídeos relacionados com aquilo que estamos a fazer costuma ajudar a acender umas luzinhas. Ficar a olhar para o documento no pc tipo burro a olhar para um palácio não adianta de nada.

Quando tenho um bloqueio normalmente vou fazer outra coisa qualquer que não tem nada a ver. Por vezes o que faz falta é alguma distância...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:13

Não há pipocas

por Pantapuff, em 03.05.14
Hey, olha eu. Estes últimos três dias têm sido particularmente difíceis por falta de imaginação. Juro que tudo em mim funciona menos aquela secção do cérebro que normalmente está a trabalhar que nem uma máquina de pipocas. 
Sento-me em frente ao pc e consigo fazer o básico, tudo o resto que me obrigue a ser criativa pooft!... o que é chato, irritante e só me complica a vida. Espero que hoje seja o dia em que isso muda e que as coisas avançam se não amanhã não há dia de sofá...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:38

World problems

por Pantapuff, em 06.11.13

Tenho andado às voltas com a  dissertação, tenho um capítulo escrito do semestre passado e a parte metodológica também já está orientada mas now what!? O meu cérebro parou completamente e recusa-se a funcionar... gaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah! Só me apetece dar cabeçadas na parede... mas oh wait! Uma ideia! Tive uma ideia super gira e interessante! Vou escrever... esperem... não se aplica de forma nenhuma à dissertação que estou a desenvolver! WHY GOD WHY!? Mas que mal é que te fiz ó caramelo?? Uh??
Sei o que tenho de ler e tenho lido algumas coisas, agora que finalmente organizei as coisas e tenho um pouco mais de tempo do que nestes últimos meses (que quase só vinha a casa dormir), mas a parte da escrita meh... morreu...

Eu quero escrever, quero muito mas mas mas não tem nada a ver! AI a minha vida...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:28

Ler, pensar, escrever, criticar

por Pantapuff, em 02.02.12

Ler, pensar, escrever.

Três coisas aparentemente simples mas que nem todos fazem nos seus blogs de crítica literária.

Quando se pega num livro, além de o ler, uma pessoa deve pensar sobre o que está a ler. Este é um exercício que a prática acaba por fazer com que, eventualmente, seja algo tão simples como... ler um livro. 

A personagem principal está bem trabalhada? A acção é clara? A escrita é acessível, fluída? A edição do texto foi boa ou precisaria de uns retoques? A história faz lembrar outras que já li ou é algo de original? As restantes personagens como são? O ritmo é bom, lento, rápido demais? As descrições são demasiadas? etc.

São perguntas básicas cujas respostas vamos encontrando ao longo das páginas e que devem ser feitas aquando a preparação de uma crítica ou resenha.

Crítica, a palavra que tantos temem não é um bicho de sete cabeças. É uma resposta fundamentada: Isto é bom pois... Não é bom porque... Isto é uma perda de tempo, dinheiro e papel devido ao facto de...

Talvez por isso seja mais fácil dar uma opinião genérica já que dissecar um trabalho dá... trabalho. Ler um livro em dois dias, chegar ao fim e dizer que é giro é um luxo que nem todos temos, não por obrigação ou hábito, mas porque se torna quase impossível de o fazer.

Provavelmente é essa razão pela qual alguns bloggers são criticados, chamados de snobs ou outras coisas menos agradáveis. Vivemos uma época em que lançar um livro é um feito (mesmo que para isso se tenha assaltado um banco e não seja possível encontrá-lo em livrarias) e não se pode falar mal ou apontar os erros porque os pobres prodígios literários ficam tristes e ofendem-se. Mas como é que uma pessoa aprende se à sua volta só lhes dão palmadinhas nas costas e dizem que é digno de um nobel?

Quando se decide começar a opinar a escrita de outros temos também a obrigação de saber escrever sem a ajuda do corrector automático do word, saber usar os acentos e a construir frases.

 

E pronto esta é a minha opinião.

 

 


P.S.: 

crítica (feminino de críticos. f.

1. Análise, feita com maior ou menor profundidade, de qualquer produção intelectual (de natureza artística, científica, literária, etc.). = APRECIAÇÃO
2. Capacidade de julgar.
3. [Figurado]  Opinião desfavorável. = CENSURA, CONDENAÇÃO
crítica textualdisciplina consagrada ao estudo e resolução dos problemas concernentes à fixação e edição de textos, sobretudo literários, e também designada por ecdótica.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:56

Ideias brilhantes

por Pantapuff, em 13.11.10

Vou emigrar para a Lua, ouvi dizer que lá não há crise.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:10



Alexandra Rolo | Pantapuff

Capturar.PNG


Nascida em 1989, em Lisboa e com uma infância marcada por demasiados filmes de ficção científica é formada em História Moderna e Contemporânea (ISCTE-IUL), História Religiosa (FLUL) e Gestão Cultural (ISCTE-IUL). Conhecida online enquanto Pantapuff, é blogger desde 2005 e tem colaborado em diversos projectos online, normalmente ligados às áreas da literatura (fantástica e FC) e da internet. Hoje faz do online a sua vida, trabalhando como gestora de redes sociais. Youtuber, bookworm, cosplayer, nerd, Potterhead e Whovian assumida é normalmente vista de phones, telemóvel, iPad e Kindle. O seu maior medo é ficar sem bateria ou perder o acesso à internet.


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.