Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Adopção por casais do mesmo sexo

por Pantapuff, em 21.11.15

Quando começarem a argumentar que casais do mesmo sexo não vão ser bons pais porque as criancinhas vão andar a ser traumatizadas lembrem-se que:
- as crianças são gozadas por ser gordas
- as crianças são gozadas por ser magras
- as crianças são gozadas por andar numa cadeira de rodas
- as crianças são gozadas por ser cegas
- as crianças são gozadas por não usar a roupa da moda
- as crianças são gozadas por usar óculos
- as crianças são gozadas por ler livros
- as crianças são gozadas por não ter um pai
- as crianças são gozadas por não ter uma mãe
- as crianças são cruéis porque os pais nunca as ensinaram a respeitar os outros
- as crianças que estão para adopção só estão porque um casal hetero concebeu essa criança...

 

Quando se preocupam com o bem-estar dessas crianças lembrem-se que um homem e uma mulher podem não ser bons pais. Quantos abandonam os filhos por inúmeras razões egoístas ou os têm a seu cargo e não tomam conta deles.

Podia contar-vos aqui histórias, que conheço, que vos deixariam doentes só de pensar que há crianças nessas situações...

Quando começarem a apregoar que as crianças vão crescer traumatizadas por terem dois pais ou duas mães pensem nas muitas crianças que cresceram sem um pai ou sem uma mãe ou que foram criadas por tias... não morreram e estão bem...

Sim, há sempre uma mágoa por não se crescer com os pais verdadeiros. Afinal de contas porque é que eles me fizeram se não tomam conta de mim? Porque é que não me vão pôr e buscar à escola como os meus amigos? Porque é que quando estou doente não me dão miminhos? Porque é que tenho de viver com outras pessoas e não com eles? Porque é que não gostam de mim? Fiz alguma coisa mal? Porquê? Porquê? Porquê?

O problema aqui é que ninguém ensina às crianças o que é ser tolerante porque os próprios adultos não se lembram do que é ser criança. Muitos nunca passaram pela situação de não crescer com os pais, de ser abandonados.

Mitos homofóbicos andam a boiar na internet de mãos dadas com a intolerância: ahhh se vão crescer com gays vão ser gays... Então se crescerem com heteros vão ser heteros? Faz todo o sentido.

Estou contente, foi passada uma lei que vai permitir que mais algumas crianças tenham uma casa, uma família que os ama, dá carinho e lhes dá mimo. É mais um passo para um futuro risonho. Talvez um dia as pessoas percebam isso... tenho esperança no mundo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:52



3 comentários

Imagem de perfil

De Superfunky a 21.11.2015 às 12:11

Não poderia estar mais de acordo com tudo aquilo que escreveste! Parabéns!
Imagem de perfil

De Pantapuff a 21.11.2015 às 12:14

Irrita-me profundamente ver os comentários que andam pela net. Não percebo como podem as pessoas ser tão intolerantes e egoístas :(
Sem imagem de perfil

De João a 21.11.2015 às 21:25

É inacreditável, mas o preconceito infelizmente é norma, não excepção. Como dizes, e bem, os mitos da homofobia são ignorância de fácil disseminação. É preciso combate-los com conhecimento e verdade. Gostei muito do texto.

Comentar post



Alexandra Rolo | Pantapuff

Capturar.PNG


Nascida em 1989, em Lisboa e com uma infância marcada por demasiados filmes de ficção científica é formada em História Moderna e Contemporânea (ISCTE-IUL), História Religiosa (FLUL) e Gestão Cultural (ISCTE-IUL). Conhecida online enquanto Pantapuff, é blogger desde 2005 e tem colaborado em diversos projectos online, normalmente ligados às áreas da literatura (fantástica e FC) e da internet. Hoje faz do online a sua vida, trabalhando como gestora de redes sociais. Youtuber, bookworm, cosplayer, nerd, Potterhead e Whovian assumida é normalmente vista de phones, telemóvel, iPad e Kindle. O seu maior medo é ficar sem bateria ou perder o acesso à internet.


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.