Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




About a Boy

por Pantapuff, em 19.02.11

Untitled-5.png

 Título: About a Boy

Título: Era uma vez um Rapaz

Autor: Nick Hornby

Páginas: 278

Publicação: Penguin Books

ISBN: 0-141-00733-8 

 

Este pequeno romance é apaixonante, simples de ler e muito real.Marcus é um miúdo  de 12 anos que ouve Mozart, toma conta da mãe e nunca teve um par de ténis. Por outro lado Will lê os livros certos, vai aos melhores  bares e sabe que sapatos usar.As vidas de ambos eram assim, antes de os seus caminhos se cruzarem e as suas vidas mudarem por completo. Talvez Will consiga ensinar Marcus a ser uma criança e Marcus consiga tornar Will num adulto...Li este romance quando estava no 12º ano para a aula de inglês e adorei, no entanto já conhecia a história toda pois já tinha o filme em casa há uns aninhos.Sim, para os mais preguiçosos foi feito um filme baseado neste livro.Deixo-vos aqui os links onde podem encontrar o livro para venda (algo que se vai tornar usual aqui em casa post):

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:11

Fritanço da noite 14

por Pantapuff, em 17.02.11

Hoje foi cedo... muito cedo... durante a aula:

 

 

"O ser humano adoptou o monoteísmo porque é preguiçoso. Assim em vez de rezar a 50 deuses reza só a um."

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:45

Educar - Centenário da República

por Pantapuff, em 16.02.11

 

A exposição Educar. Educação para todos. Ensino na I República foi inaugurada hoje no Palácio Valadares (Largo do Carmo, Lisboa) pelas 17horas.

Uma linda cerimónia que envolveu um pianista e dois cantores.

A exposição em si é constituída por um total de 11 salas todas elas diferentes e muito ricas tanto em peças como em tecnologia. Aconselho a visita. De todas as que estiveram em Lisboa (Viva a República, Corpo e Viajar) esta é sem dúvida a de que mais gosto.

Tal como as outras, funciona toda a semana (incluindo feriados) das 10h às 18h e a entrada é gratuíta.

Para mais informações podem consultar o site da CNCCR.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:46

Facebook: Questões técnicas

por Pantapuff, em 13.02.11

Hoje deparei-me com esta nota por parte de um contacto de um contacto meu no facebook (sim parece estranho). E eu já me tinha perguntado porque razão eram sempre as mesmas pessoas que eu via. E aqui está:

 

Já reparou que as publicações no seu mural ultimamente são sempre das mesmas pessoas? E também já reparou que quando publica actualizações de estado, fotos e links são sempre as mesmas pessoas a comentar e as outras pessoas parecem ignorar as suas publicações?

 

Não se preocupe, ninguém se zangou consigo nem bloquearam s suas publicações intencionalmente. O problema é que uma grande parte dos seus amigos ou fans não conseguem ver nada do que você publica e a razão é a seguinte:

 

O "Novo Facebook" tem uma opção do mural que está automaticamente definida para mostrar APENAS as publicações das pessoas com quem você  interagiu recentemente ou com quem interage mais (que será limitado apenas ao último par de semanas anterior à mudança para o novo perfil). Portanto, por outras palavras, para páginas pessoais e empresariais, a não ser que os seus amigos ou fans tenham comentado uma das suas publicações ou vice-versa, vocês agora são invisíveis uns para os outros! Nem você vê o que eles publicam, nem eles vêem o que você publica!!!

 

PARA ALTERAR ESTA OPÇÃO:

Vá até ao fundo da sua página, mesmo ao fim do Mural, onde aparece “Publicações mais antigas”... Do lado direito aparece “Editar opções”, clique aí e depois clique no menu “Mostrar publicações de” e escolha “Todos os teus amigos e páginas que gostas”, guarde e veja como o seu Mural mudou!

 

Publicar simplesmente uma actualização de estado não vai surtir qualquer efeito uma vez que uma boa parte dos seus amigos e fans não vêem as suas publicações! Tem que enviar uma mensagem a cada uma dos seus amigos ou fans (o que não tenho a certeza que as páginas possam fazer e é um método muito trabalhoso) ou criar um evento explicando a situação ou uma actualização como esta e convidar todos os seus amigos e fans.

Também pode usar o Twitter e ter esperança que todos os seus fans e amigos também o usem!

 

Que prepotência do Facebook alterar as definições básicas e não avisar ninguém! Pense só na quantidade de empresas que publicaram promoções de Natal, descontos ou sorteios sem fazerem ideia que os seus clientes não conseguiam ver as suas publicações!

 

Obrigado por ter lido até aqui, e se quiser continuar a saber de todos os seus amigos e fans... vá lá alterar as suas definições.

 

Cumprimentos,

 

Cris Ramos

 

(NOTA: este texto é a tradução de um que recebi em inglês e que, após verificar a veracidade dos factos, decidi traduzir para informar todas as pessoas interessadas)

 

 

Esta nota foi partilhada por Manuela Matos Monteiro.

Já fiz a alteração e já noto algumas diferenças.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:48

Fenómeno da Aparição

por Pantapuff, em 12.02.11

Hoje fiquei com uma leve ideia de como a Nossa Senhora de Fátima se deve ter sentido quando apareceu àquele molho de gente. Não se eu agora seja santa, mas já vão perceber.

A pedido de muitas famílias, bom só uma, ok a minha tia, hoje fui à missa à Igreja Matriz para tomar conta dos outros miúdos a quem ela dá catequese porque a outra catequista não pôde ir. Enfim, lá fui eu e quando lá cheguei eram poucas as pessoas ainda no local que viria a estar apinhado de pessoas com os seus filhotes, ou então não porque está frio e todos os lugares são melhores que aquele.

Enfim, eu deixei de ir à missa pela mesma altura que deixei de dar catequese já lá vão fazer dois anos, porque achei que dormir ao fim-de-semana devia ser uma experiência interessante e até gostei da coisa pelo que se tornou o meu hobbie (hei uns bebem, outros fumam, outros drogam-se. Eu durmo).

À medida que as caras conhecidas iam chegando desviavam o olhar mas depois voltavam e ficavam surpreendidas por me verem ali. Houve até quem perguntasse se eu estava perdida ou doente, ou se tinha morrido alguém. Também uma pessoa se virou umas quatro ou cinco vezes para trás para ver se era eu ou não...

Ainda assim foi bom eu ter ido porque adorei a leitura de hoje que era de uma carta de S. Paulo para alguém (ele também escrevia cartas a toda a gente) e dizia que se pecarmos com os olhos devemos arrancá-los e deitá-los fora, se for com a mão devemos cortá-la e deitá-la fora... (tenho de procurar esta carta porque afinal a Bíblia tem piada em algumas partes). Também adorei o sermão do padre (cujo nome desconheço, é um dos novos) onde ele disse às crianças, que ficaram em pânico depois da leitura, que não devemos levar isto à letra se não, passo a citar: "ficávamos todos cegos ou Camões".

Resumindo, fui à missa e o que foi que vi? As pessoas que ainda não ganharam juízo e que ainda conseguem aturar gente que não tem mais nada pra fazer na vida ou que não tem mesmo uma vida, vi as senhoras que vão para lá para pôr a conversa em dia, vi que a pessoa que não me suporta ver nem pintada e que iria arrancar cabelos se eu voltasse continua a receber-me com um grande sorriso e um abraço e vi que os seminaristas continuam a ser um desperdício na vida de padre.

Oh well... tudo na mesma, a diferença é que desta vez eu fui e vai demorar até voltar a ir.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:33




Alexandra Rolo | Pantapuff

Capturar.PNG


Nascida em 1989, em Lisboa e com uma infância marcada por demasiados filmes de ficção científica é formada em História Moderna e Contemporânea (ISCTE-IUL), História Religiosa (FLUL) e Gestão Cultural (ISCTE-IUL). Conhecida online enquanto Pantapuff, é blogger desde 2005 e tem colaborado em diversos projectos online, normalmente ligados às áreas da literatura (fantástica e FC) e da internet. Hoje faz do online a sua vida, trabalhando como gestora de redes sociais. Youtuber, bookworm, cosplayer, nerd, Potterhead e Whovian assumida é normalmente vista de phones, telemóvel, iPad e Kindle. O seu maior medo é ficar sem bateria ou perder o acesso à internet.


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.