Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

João Piedade e o Filho de Odin

por Pantapuff, em 23.01.11

 

Ora como anunciado na noite passada via facebook fica aqui hoje um pequeno post sobre o autor do livro "O Filho de Odin".

 

Na noite passada tive o prazer de falar com o João Piedade, 21 anos e estudante. Digo prazer porque foi de facto interessante falar com ele. Atencioso perguntou de imediato se precisava de alguma coisa. Fui fazendo perguntas e ele foi respondendo. Eventualmente lembrei-me de escrever sobre ele aqui e como não disse que não aqui estou eu (como se eu fosse deixar de escrever o texto).

Ele escreveu o primeiro livro do Odin aos 14 anos, mas apenas o conseguiu publicar aos 18 (o que evidentemente mostra que não foi com cunhas), no entanto nem aos 18 este jovem tinha a noção de que o seu livro não tinha qualidade alguma, e mesmo depois de ter essa noção avançou para um segundo e não tarda muito vamos ver um terceiro.

Parece que não levou a mal as minhas perguntas/críticas, mas ao mesmo tempo acho que ele não acha muita piada a que outros escritores (amadores/não publicados) o façam e acha mesmo que eles se deviam dedicar a algo mais produtivo do que estar a criticar alguém (aparentemente um monte de frustrados que não convivem bem com o sucesso de alguém).

Há também a possibilidade de haver uma segunda versão dos Odins já publicados, afinal de contas fizeram o mesmo com o Full Metal Alchemist (e não ele NÃO estava a comparar os dois).

Como ele diz "practice makes perfect" e deve andar a praticar com o Odin que na minha opinião era já enterrado e feito o funeral com o segundo livro, pois se os "fãs" não gostam do primeiro e abominam o segundo não costuma ser boa ideia continuar a encher as prateleiras com os livros que agora se encontram nas bancas das promoções do continente ao lado do "Faça você mesmo" ou "Aventuras do Winnie de Poh".

Mas vamos lá esperar pelo lançamento do livro deste já mais maduro escritor. E que sabe até pode ser que à terceira seja de vez...

 

Eu cá recuso-me a comprar um livro onde na contracapa podemos ler os "props" de gente famosa e não uma bela de uma sinopse, que é o que normalmente figura em qualquer bom livro.

 

 

Ora agora não vamos esquecer que estes foruns (mencionados em cima) onde os livros são discutidos são uma plataforma de vendas, se existem 50 comentários negativos as pessoas vão pensar duas vezes antes de comprar. Eu depois de uma breve leitura achei que o meu dinheiro seria melhor gasto com o "Orbias" ou com o "O Novo Membro" (que estão na minha lista de compras).

 

Fui dar uma segunda volta pelo Google à procura de algumas opiniões de pessoas que tenham lido o livro e encontrei um conjunto muito interessante fora do bbde e do PtC. No Die Otelo Pruzident podem ler comentários como estes:

 

  1. Eu escrevo desde nova. Muitas pessoas diziam-me que tinha talento, e e insistiam para que publicasse alguma das minhas histórias. Mas, porque tinha consciência de que os meus livros ainda não eram bons o suficiente para o fazer, recusei sempre.
    Hoje, quando leio as coisas que escrevia, não sei se hei-de rir ou de chorar. (...)
    Agora, com dezoito anos, as minhas histórias são muito melhores, e penso seriamente em publicar algumas.
    Acho que esse foi o grande erro do João: ele não soube avaliar o seu próprio trabalho, e expôs-se cedo demais.
    Ele leu e viu uma série de coisas que achou engraçadas, e tentou juntar tudo num livro seu.
    Acho que, para um rapaz de quinze anos, ele até escreve bem... O que quero dizer, é que a técnica não é má, o conteúdo é que é péssimo.
    Relativamente à técnica, acho que o João tem de aprender a trabalhar o tempo, para que não aconteça tudo demasiado depressa, usar um vocabulário mais vasto e escrever com mais cuidado as descrições.
    Quanto ao conteúdo... Acho que, antes de mais nada, tem de escrever ideias dele. Também era bom que os personagens fossem mais originais.
    E, pessoalmente... o João devia ser mais modesto. Isso iria ajudá-lo a avaliar melhor o seu trabalho.
  2. Existem livros que nos fazem rir, outros que nos fazem chorar. Bem, João Piedade dá-nos tudo isso em metade das páginas que autores menos hábeis utilizam. Eu ri-me perdidamente a ler este livro (juro, expressões como "gritou tão alto que até o vidro de uma janela se rachou" fizeram-me deitar litros de leite pelo nariz), eu ria-me na introdução, nas partes divertidas, nas partes tristes e nas outras pelo meio. Eu ri-me durante um par de horas depois de acabar o livro e dois anos depois ainda sorrio. Mas com este livro eu também chorei; pelo abate das árvores, pelo dinheiro gasto, pelos frequentadores de livrarias incautos, que não sabem o que lhes espera.
    João Zuzarte Piedade têm um talento mas precisa de aprender a usá-lo: ele podia fazer as massas rir sem gastar papel nem dinheiro. Ele podia apenas começar um blog para as suas histórias e todos os padrinhos, amigos e primos actores podiam dizer bem dele nos comentários e até ler o livro para pelo menos dessa vez saberem do que estão a falar. A sério, eu não me importava nada.
  3. Boa tarde Caros leitores...
    Voltei com boas novas, este Natal adivinhei o que recebi? Sim...o Filho de Odin 2...:)Pensei logo..."A pessoa que me ofereceu não deve gostar de mim"...Pensei depois..." Talvez o Zuzartezito Strongheart já tivesse aprendido a criar algo que não fosse tão repugnante" e Caros Amigos...ainda so li a Nota de Autor e já vi que ele está não igual ou melhor, mas sim PIOR...Arrogante e pensa que tudo o que conseguiu foi por merito proprio...se querem ter raiva de alguém...porfavor...Leiam A NOTA Do AUTOR...Vou ler o Livro...Sim...não tenho medo de dizer...Eu vou ler...Adoro Leitura de Casa de Banho...se é que me compreendem...depois de o ler vou voltar para resumir o livro...
    Meus caros Amigos...não sou escritor...nem quero ser...mas tenho pena dos que querem e que por não terem DINHEIRO ou uns PADRINHOS famosos não conseguem lançar LIVROS a SERIO que estão dentro da alma desses escritores e cheio de vontade para sair para o nosso mundo...
    Grandes Cumprimentos a Todos
  4. não desculpa... mas até eu faço melhor que aquilo. Ele parecia uma criança de 8 anos a escrever uma composição para a escola. Até há uma parte do livro onde jonathan está a voar em cima de arthos( o grifo ) ... vou repetir o que diz lá:
    Este levantou voo e rasgou o céu a voar a toda a velocidade. Voava tão depressa que, se Jonathan abrisse os olhos, começava a lacrimejar.
    - Isto é fantástico, como é que consegues voar tão depressa?
    - Comi feijoada ao almoço, daí a força que vem lá de trás!!!!! OMG!!!
  5. Para quem não encontra o livro o não tem paciência para o ler, eis um resumo (partes do autor entre aspas):
    "Estamos no século 19, em 1862, [...] uma espécie de celebração satânica, está a realizar-se. Como resultado das preces dos discípulos do Caos, ergue-se um antigo e negro castelo romeno para fazer regressart o Senhor das Trevas." 
    Os acólitos e uma espécie de padre demoníaco entram no castelo, e cantam para acordar Drácula (entre eles estão "5 banshees [Homo Fata Maeora]"). Após o 'padre' (chamado Kalthazad) ter implorado a presença do sofrimento, sai Drácula do seu caixão. Aparece um paladino para o matar, mas Drácula hipnotiza-o e o paladino torna-se também malvado. 
    Drácula então conquista rapidamente a zona em redor à Roménia (excepto a Grécia graças ao Olimpo e seus Deuses).
    Em Portugal, Jonathan Strongheart está a tomar o TRADICIONAL chá das cinco, enquanto o pai lê o TIMES (tudo muito tuga, começando pelo nome).
    Essa noite, ele recebe uma visita nos seus sonhos de um viking zarolho com um corvo em cada ombro, que lhe diz: "Vidar, meu filho!" (Se não souberem quem é o gajo ainda basta ler o título).
    ELe vai ter com o pai e fala-lhe do sonho e o pai diz que sonhou com o mesmo gajo e que devia de partir pois era o 'escolhido'.
    Visto que era 1862, Jonathan apanha um comboio. Pára na primeira estação e encontra uma caverna. Lá dentro ele vê uma estátua do gajo que lhe apareceu nos sonhos. Então ele ouve uma voz que lhe diz para a tocar, e ele decide tocar-lhe. Jonathan é então transportado para um baile de festas, onde encontra o 'homem-dos-sonhos'.
    Jonathan descobre então que é o filho do rei dos Deuses nórdicos e, após um "slide-show" que a sua missão é derrotar Drácula. FIM (do primeiro capítulo)

 

No entanto existem comentários simpáticos e de apoio. Assim um por cada cinquenta negativos, o que não me parece uma boa média.

 

No site Goodreads o livro está cotado com uma estrela e meia (o máximo é cinco) o que mais uma vez ilustra as opiniões acima transcritas.

O fórum BBDE também tem um separador de debate sobre o livro. Já no Portugal Creative parece que ninguém leu o livro ou já lá estaria de certeza absoluta e se ainda ninguém o leu é por alguma razão já que 90% dos utilizadores são leitores compulsivos que levam os pais à loucura com as constantes encomendas de livros a chegar a casa.

 

Ainda assim foi uma conversa agradável que terminou sem um "adeus", talvez ele não tenha achado muita piada às minhas críticas, enfim. Quem me conhece sabe bem que faço o mesmo com autores conhecidos, limito-me apenas a dar a minha mais sincera opinião...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:24



7 comentários

Sem imagem de perfil

De Adeselna a 23.01.2011 às 19:07

Acho que só o facto de ele aos 18 anos NÃO ter noção do que fez já se nota a grande maturidade e ainda pior é o SEGUNDO volume ter sido publicado em 2008... passados dois anos ainda não tinha noção? Quanto mais fala mais se enterra... e quanto às cunhas: acabou de passar um atestado de burrice à editora da Gailivro . Pois prova que o editor para além de ter deixado passar as gralhas, ainda achou piada ao plágio... sr . Zuzarte faça um favor e pare de gastar árvores dois livro já foi enough , fique pelas Inglaterras e não volte!

Quer um conselho útil: Não plagie! Quando se escreve um livro e publica está-se sujeito a críticas de todos os lados. O sr . Zuzarte deveria engolir e entender que se não leva bem as críticas então esqueça nunca vai ser um escritor a sério. Será alguém que escreve sabe lá Deus porquê.

Isto foi escritor por uma pessoas que tirou uma licenciatura em literatura: se acha que sou frustrada ou amadora só porque nunca publiquei um livro, tenho pena de si. Faça um favor à literatura e desista de escrever. É o único conselho bom... Nada contra si como pessoa, só contra as coisas que escreve.

Sim porque se lermos no Facebook , o Zuzarte admitiu que para a pesquisa do seu terceiro livro usou o filme Pearl harbor " do Michael Bay ... como se o Michael Bay fosse referência e no segundo livro pode-se ler: " De volta às trincheiras inglesas, o soldado guardou a pistola, após ter eliminado a única unidade que o preocupava mais, desembainhou a sua espada "

-.-" isto é gozar com os leitores...
Imagem de perfil

De Pantapuff a 23.01.2011 às 20:26

eu nao li o livro, mas quero fazê-lo até porque apetece-me comentar todas as passagens que ele lá tem. pelos excertos que li o rapaz sabe de tudo menos de história, e doi-me ver que ele afinal (não vou dizer que é tão inteligente como uma batata, oops já disse) mas não deve saber bem ler já que a sua escrita é péssima, será que ele já foi a uma daquelas coisas chamadas bibliotecas?
até a minha mãe tá parva com os excertos xD
Sem imagem de perfil

De O Primo do Odin a 24.01.2011 às 22:39

Quem destestar todos os comentarios que sao feitos acerca do livro e das criticas que sao aqui feitas pode sempre me oferecer o livro :D

http://www.wook.pt/ficha/o-filho-de-odin/a/id/187374

Se e que faz sentir melhor :P
Imagem de perfil

De Pantapuff a 24.01.2011 às 22:45

só se depois me deres os livros eu nao quero gastar dinheiro naquilo pá. ainda por cima são dois a caminho de três -.-'
Sem imagem de perfil

De Inês Montenegro a 02.04.2011 às 16:49

Lembro-me de pegar neste livro há uns anitos... Se não me engano, tinha acabado de sair. Abri-o ao calhas, li um excerto e imediatamente esqueci qualquer ideia de o comprar. Lembro-me até de comentar com a minha mãe, que ia comigo, que não conseguia compreender os elogios que estavam junto com o dito cujo.
Mas já agora, anos depois, voltei a ficar curiosa, talvez arrisque e junte a crítica - positiva ou negativa - às muitas que já se vêm por aí. Quando me sentir com vontade.
Sem imagem de perfil

De selenyum a 21.12.2011 às 19:27

É graças a pessoas como estas que as pessoas torcem o nariz quando digo que escrevo ficção histórica. Eu baseie-me em livros e documentários para alem de que pedi a alemães e russos para rever o livro. Por essas razoes, não estará pronto em menos de três anos.
Imagem de perfil

De Pantapuff a 21.12.2011 às 22:13

vamos ser ainda mais generalistas e dizer que é por pessoas como estas que os novos escritores são mal vistos =(

Comentar post




Alexandra Rolo | Pantapuff

Untitled-3.png


Nascida em 1989, em Lisboa e com uma infância marcada por demasiados filmes de ficção científica é formada em História Moderna e Contemporânea (ISCTE-IUL), História Religiosa (FLUL) e Gestão Cultural (ISCTE-IUL). Conhecida online enquanto Pantapuff, é blogger desde 2005 e tem colaborado em diversos projectos online, normalmente ligados às áreas da literatura (fantástica e FC) e da internet. Hoje faz do online a sua vida, trabalhando como gestora de redes sociais. Youtuber, bookworm, cosplayer, nerd, Potterhead e Whovian assumida é normalmente vista de phones, telemóvel, iPad e Kindle. O seu maior medo é ficar sem bateria ou perder o acesso à internet.



Links

Outras Folhas


Alexandra's bookshelf: read

Edge of SweetnessLynda's LaceA Change of SeasonsA wet & wild nightReligions of the WorldLégendes : Créatures fantastiques

More of Alexandra's books »
Book recommendations, book reviews, quotes, book clubs, book trivia, book lists

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.